terça-feira, 8 de novembro de 2011

Visão obtusa.


Não gosto de entrar em polêmicas por geralmente serem inúteis - 'discutir' é sair do nada a lugar algum (como todo exercício tipicamente humano). Mas usando o português honesto: já deu no saco esse 'axioma' de que 'quem defende um animal e come carne é hipócrita', típica de acomodados que soltam a primeira estupidez que lhes emerge à cachola. Não tiro o mérito de quem é vegetariano ou vegano a favor dos animais, tampouco sou contra (muito menos sou a favor do 'carnivorismo'), mas o fato de uma pessoa comer carne não significa que ela seja 'indiferente' ao que ocorre em matadouros ou que deva agir passivamente diante de qualquer agressão a um animal.
Algumas pessoas agem como se o fato de não consumirem carne as canonizassem. Deixar de comer carne é uma iniciativa louvável porém infelizmente não 'salva vidas', como pregam os entusiastas. Você pode nunca comprar hambúguer congelado, porém há 10 que o farão em seu lugar.  A mesma quantidade de animais continuará sendo abatida para consumo, quer você coma ou não. Há também quem ignore os abusos/traços animais presentes em quase tudo na nossa sociedade - do cimento usado na construção da sua casa à manufatura de um produto. O radicalismo vegano é um belo dogma, porém utópico: para tornar-se coerente, deveria implicar em demolir a humanidade como a conhecemos hoje, redução drástica na população mundial e o retorno à época das cavernas. Ou seja: idealismo ilusório. Inclua ainda vegetarianos que seguem o 'modismo' ou deixam a carne de lado pela 'saúde' mas não movem uma palha pra ajudar animais largados nas ruas. Acha 'hipocrisia' comer gado ou frango e trazer um filhote de gato abandonado pra casa, cuidar de um cão doente ou espancado? Talvez não seja o 'ideal', porém viver apenas de idealismos em nada modifica a realidade. O sistema de granjas, abatedouros e afins está a anos-luz do que poderia ser considerado 'digno', mas somente repudiar e boicotar a indústria frigorífica/ deixar de consumir produtos oriundos de fonte animal não mudarão o destino desses animais. O buraco é bem mais profundo e nossa cultura carnívora/exploratória não deverá mudar tão cedo (se/quando mudar será por motivos meramente econômicos e não morais, infelizmente). Ainda quer ser radical? Certo. Que todos os 'comedores de carne' mostrem-se 'coerentes' e fiquem impassíveis caso seus cães e gatos sejam mortos a pancadas ou coisa pior. Ignorem 'entidades' que sacrificam um cavalo a marretadas na cabeça e gente que arrasta o próprio cão amarrado em seu carro porque 'é meu e com ele faço o que quiser'. Sejam indiferentes a animais abandonados feito dejetos cidade afora, passando fome, frio, em grande parte doentes. A 'cobaias' torturadas em 'pesquisas' sob 'nome da ciência'. 'Mercadorias' que tem peles, dentes, chifres e afins arrancados a sangue-frio para todo tipo de 'finalidade'. 
Faz sentido? Creio que não. Comer carne ou não é somente a ponta do iceberg - a questão é bem maior do que uma simples escolha. O fato de alguém não ser vegetariano ou vegano não lhe tira o direito de indignar-se contra qualquer tipo de crueldade, abuso ou violência que atinga um animal - inclusive provenientes de abatedouros e granjas (ainda que um animal seja utilizado como alimento, há formas e formas de se fazê-lo). 

'Hipocrisia' é um belo termo de efeito, porém idealista demais para a realidade