quarta-feira, 20 de abril de 2011

Filmes Obscuros: 'The Act of Seeing With One's Own Eyes" (1971)

"O Ato de ver-se com os próprios olhos" nada mais é do que a transcrição literal do termo "Autópsia". O documentário, realizado por Stan Brakhage, é parte de uma trilogia do diretor chamada "Pittsburgh Trilogy" - as cenas sintetizam um dia na rotina do necrotério local. Intencionalmente sem áudio (talvez para 'amenizar' as imagens ou, do contrário, ressaltar), o filme devassa o ser humano em suas mais obscuras minúcias, descarnando (literalmente) um fato inerente a todo ser vivo que geralmente optamos por ignorar: a morte. Fascinante para interessados em anatomia, tanatologia, necrópsia ou mesmo curiosos. Os procedimentos necroscópicos deverão chocar aos 'desabiatuados', no entanto (na cultura ocidental 'morto' significa tabu, superstição, antinatural, etc). A edição também leva a refletir sobre valores - diante do corpo oco feito casca de ovo daquilo que um dia foi um ser humano, impossível rechachar a sensção de 'vazio' ao dar-se conta de como a vida é efêmera e do quanto a desperdiçamos, presos às picuinhas do dia a dia. Provavelmente em respeito às familias as faces dos cadáveres não são mostradas - uma atitude singela e paradoxal à devastação dos corpos. A obra foi definida como 'uma das mais diretas confrontações com a morte já registradas'.




Nota: Alguns consideram o termo 'autopsia' mal-empregado no significado de examinar-se um cadáver; o correto seria apenas utilizar-se 'necropsia': 'autopsia' quer dizer 'auto-examinar-se' (como no caso do auto-exame das mamas) e não 'ser examinado'.


Links para mais informações:
http://en.wikipedia.org/wiki/The_Act_of_Seeing_with_One's_Own_Eyes
http://www.lostatsea.net/feature.phtml?fid=18853449354767ab65cb6aa